Programa de transferência de renda será lançado no dia 23 em Juazeirinho

Geral

06/12/2017 às 23h36

Programa de transferência de renda será lançado no dia 23 em Juazeirinho

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 341 VEZES

JUAZEIRINHO - Em um momento de crise, onde os recursos pagos aos beneficiários do Programa Bolsa Família, caíram consideravelmente, a Prefeitura vai na contra mão e lançará no próximo dia 23 o Prato Cheio, programa de transferência de renda com recursos próprios que vai atender inicialmente 100 famílias com investimento de R$ 8 mil mensais e perspectiva dee chegar a 1 mil famílias carentes atendidas.

 

"Havia famílias que recebiam R$ 500 de Bolsa Família, mas que viu isso ser reduzido pata R$ 200. Outros que ganhavam R$ 200 e caiu para R$ 80. Ou seja, o Temer (presidente da República), está massacrando a pobreza. Mas nós estamos criando o Prato Cheio, que é o Bolsa Família do município. Isso vai ser agora no dia 23 e, inicialmente, 100 famílias serão contempladas, com a expectativa de atingirmos o número de 1 mil famílias beneficiadas, tudo com a receita do município", afirma Bevilacqua.

 

Segundo ele, cada família vai receber uma bolsa de R$ 80 por mês. São pessoas que estão na linha de pobreza e que já estão dentro do cadastro do Bolsa Família.

 

O gestor explica que antes quem recebia o Bolsa Família não iria ser contemplado, mas que agora, com essa nova realidade, onde as pessoas perderam rendimento devido a dureza do presidente, ele decidiu que essas famílias também poderão ser contempladas com o Prato Cheio.

 

A prioridade, segundo o alcaide, são as mulheres, que irão receberem o benefício do Prato Cheio.

 

Eles terão a obrigação de cumprirem algumas exigências para integrarem o Prato Cheio e, durante o ano, a secretaria Municipal de saúde, fica responsável pelo acompanhamento dessas mulheres, que terão que fazer o exame de Papa Nicolau, colo de útero e mamografia.

 

"Isso vai ser durante um ano e, se a mulher não fizer isso, perde o direito de receber os benefícios do Prato Cheio. Da mesma maneira, quem tem filho pequeno, tem que colocá-lo na escola. Além disso, a secretaria de desenvolvimento social, vai promover cursos para que essas pessoas estejam dentro se capacitando. A meta é avançar, mas estamos começando ocm 100 famílias para que a gente aprenda e corrija  possíveis erros", lembra.

 

As beneficiárias irão receberem cartões poupança onde poderão sacar o dinheiro e gastá-lo no comércio local.

 

Serão investidos inicialmente R$ 8 mil mensais com recursos próprios para atender as 100 famílias contempladas.

 

Da redação

Comentários

Veja também

Facebook