Prefeito de Pocinhos baixa decreto que prejudica população e servidores

Geral

06/11/2018 às 23h01

Prefeito de Pocinhos baixa decreto que prejudica população e servidores

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 337 VEZES

POCINHOS - Com o discurso de que precisa conter despesas para equilibrar as finanças do município, o prefeito, Cláudio Chaves (PTB) decidiu suspender por decreto o pagamento de gratificações aos servidores e conter despesas na administração.

 

Tal medida tem gerado protestos da oposição, a exemplo do vereador e ex-presidente da Câmara Municipal, Sóstenes Murilo (PSB).

 

Ele lamenta a ideia infeliz do prefeito e disse que tais medidas não irão contribuir em nada para equilibrar as finanças da Prefeitura

 

Ao invés disso, o vereador orienta ao gestor para evitar gastos com 9 secretários, por exemplo, que ganham R$ 5 mil cada um, totalizando uma despesa de R$ 45 mil mensais; subsecretaria,cujo salário é de R$ 2.500, o que dá R$ 15 mil por mês.

 

Sóstenes segue elencado os gordos salários de comissionados na Prefeitura, como 8 supervisores de secretarias,com salário mensal de R$1,200 ao custo total de R$ 9 mil mensais.

 

Só com esses gastos, o vereador explica que, por ano, a Prefeitura pocinhense desprende R$ 828 mil por ano.

 

Outra despesa que deveria ser cortada, ainda segundo o vereador, é R$ 7 mil por mês do aluguel de um carro para uso do prefeito o que, por ano, a locação do automóvel custa aos cofres público, R$ 84 mil.

 

"Por isso, senhor prefeito, falta dinheiro para saúde, porque dinheiro tem. Mas você prefere pagar aos seus correligionários que, na maior parte, não trabalham e só faz receber", pontua o parlamentar, que acrescenta: 

 

"Engraçado, esse prefeito baixa um decreto para conter despesas e outro suspendendo gratificações. Mas ao mesmo tempo e no mesmo diário oficial, nomeia mais um assessor. Como ele quer conter despesas?", indaga.

 

O prefeito e a sua vice-prefeita, Maísa Souto (PSDB), foram cassados em primeira instância por abuso de poder político e econômico 9compra de votos) e estão no cargo aguardando decisão do Tribunal Regional Eleitora (TRE).

 

Além disso, ambos foram multados em aproximadamente R$ 700 mil.

 

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Da redação

Comentários

Veja também

Facebook