Prefeito de Juazeirinho decide retirar PL da taxa de iluminação pública da pauta

Geral

09/11/2017 às 00h13

Prefeito de Juazeirinho decide retirar PL da taxa de iluminação pública da pauta

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 355 VEZES

JUAZEIRINHO - Em pronunciamento na noite desta quarta-feira (8), o prefeito, Bevilacqua Matias (Avante), decidiu retirar o Projeto de Lei (PL) que instituía a cobrança da taxa de iluminação pública e que iria ser votado pela Câmara na manhã desta quinta-feira (9) em sessão extraordinária.

 

De acordo com o chefe do executivo, o pensamento era usar o dinheiro arrecadado com a cobrança da taxa de iluminação pública, algo em torno de R$ 100 mil mensais, para poder bancar o programa social Prato Cheio, uma espécie de Bolsa Família Municipal e cujo projeto será votado nesta quinta.

 

"O projeto da taxa de iluminação, seria para as pessoas começarem a pagar algo em torno de R$ 2 ou R$ 3 porque mudamos os índices do que era antigamente e quem iria pagar seria quem consumisse acima de um determinado número de quillowhatts. Ou seja, o mais humilde ficaria isento. Com este dinheiro, nós iríamos dar até 1 mil bolsas famílias para nossa população", explica Bevilacqua.

 

O prefeito afirma ainda que houve um ruído na comunicação e os adversários, que passaram os últimos quatro anos no poder e nada fizeram, distorceram, querendo dizer que o seu Governo queria prejudicar a população.

 

"Porem em respeito a cada um de vocês, estamos retirando o projeto da taxa de energia e vamos manter o Prato Cheio, para que possamos começar, mesmo de maneira pequena, porque não temos recursos, a ajudar a nossa população carente que nunca foi olhada neste município. Vou dar de 50 a 100 bolsas, que é o que posso fazer. Mas se a população entender que é necessário mais, eu posso mandar o projeto da taxa de iluminação pública e este dinheiro iria para justamente completar as 1 mi bolsas famílias", pontua o prefeito.

 

Sobre a possível retirada de benefícios dos servidores públicos, Bevilacqua garante que trata-se de mais uma mentira da oposição, pois que está apenas suspendendo temporariamente o pagamento de algumas gratificações com o intuito de arrumar a casa porque precisa pagar o 13º salário e criticou o Governo do presidente, Michel Temer que, na sua visão, está quebrando o País.

 

Da redação

Comentários

Veja também

Facebook