Prefeito cassado de Pocinhos é denunciado novamente à Justiça por fraude em licitações

Paraíba

04/07/2018 às 00h50

Prefeito cassado de Pocinhos é denunciado novamente à Justiça por fraude em licitações

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 322 VEZES

POCINHOS - O prefeito, Cláudio Chaves (PTB), foi denunciado mais uma vez pelo Ministério Público (MP) ao Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) por fraudes em duas licitações no ano de 2013 e que visava adquirir material gráfico.

 

A denuncia diz que as cartas convites foram montadas para fins de ludibriar, inclusive, os órgãos de controle, em especial o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

 

No entanto, a própria auditoria técnica do TCE, ao analisar a prestação de contas da Prefeitura Municipal de Pocinhos, relativa ao exercício financeiro de 2013, sinalizou que tais procedimentos seriam fraudados, considerando como não licitadas, as despesas com a empresa gráfica Krause.

 

Ainda de acordo com a denuncia, verifica-se que o prefeito, igualmente, teve participação dolosa e relevante para o êxito da empreitada criminosa, nomeando os membros da comissão licitante, autorizando, homologando e, posteriormente, contratando a empresa que, sabida e fraudulentamente, se sagrara vencedora nas licitações.

 

Trata-se apenas de mais uma denuncia por fraude em licitações contra o prefeito, que está cassado pela Justiça Eleitoral e aguarda uma posição do TRE que, caso confirme a perda do mandato de Cláudio, convocará nova eleição para a escolha do novo prefeito de Pocinhos.

 

Cláudio foi cassado por compra de votos durante a sua campanha à reeleição, em outubro de 2016, quando venceu por 73 votos de maioria, a candidata da oposição, Eliane Galdino (PSB).

 

O prefeito ainda foi multado em mais de R$ 700 mil e teve os direitos políticos suspensos por 8 anos, bem como a sua vice-prefeita, Maísa Souto (PSDB).

 

Atualmente, devido ao caos na gestão Municipal, Cláudio é rejeitado, de acordo com dados de pesquisas internas, por mais de 80% dos pocinhenses.

 

Confira teor da denuncia:

 

Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: texto

Da redação

Comentários

Veja também

Facebook