Incentivo ao uso de energia solar na agricultura familiar na Paraíba

Agricultura

17/06/2017 às 18h19

Incentivo ao uso de energia solar na agricultura familiar na Paraíba

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 297 VEZES

Uma série de eventos para incentivar e atrair agricultores familiares a aderirem ao Programa de Energia Solar para o uso de irrigação e outras tecnologias no campo, com o objetivo de reduzir custos com a energia elétrica e aumentar a produção sem agredir o meio ambiente, será promovido pelo Governo do Estado, por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB), integrante da Gestão Unificada (Emepa/Interpa/Emater) vinculada à Sedap, promove.


A região administrativa da Emater em Itabaiana, coordenada pelo técnico Paulo Emílio de Sousa, já realizou diversos encontros sobre energia solar fotovoltaica para famílias agricultoras dos municípios de Ingá, Gurinhém, Pedras de Fogo, São Miguel de Taipu,  Mogeiro, Itabaiana, Pedras de Fogo e Salgado de São Félix. Conforme a programação, o próximo ocorrerá no dia 22, em Itatuba.

 

Atualmente, a regional trabalha 17 projetos. Desse total, 14 estão em fase final de elaboração e três já aprovados pelo Banco do Nordeste aguardando a liberação do financiamento.

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, árvore, atividades ao ar livre e natureza


Segundo Paulo Emílio, durante os eventos são discutidos e avaliados todos os procedimentos de implantação do sistema a partir da elaboração das propostas de financiamento pelos extensionistas da Emater, as linhas de crédito do Pronaf Eco para o agricultor familiar, o FNE Sol para o produtor rural, além de palestras das empresas cadastradas e responsáveis pela instalação, que já somam 27 no Estado.


Ele lembrou que o primeiro projeto de energia fotovoltaica foi implantado no município de Ingá, no sítio Caldeirão, pertencente ao agricultor José Francisco,  que trabalha com bovinocultura de leite e de corte, além da produção de silagem para alimentação do rebanho, resultado do Acordo de Cooperação Técnica firmado  entre o Governo do Estado e o Banco do Nordeste com execução da Emater.


Com um custo de R$ 21.340,80, o projeto foi implantado no sistema On Grid, ligado diretamente na rede de energia elétrica, com geração de 300 kwh/mês, suficiente para atender as demandas da propriedade, como também gerar bônus para descontar em outras unidades de consumo  de energia pertencentes ao agricultor.

 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, árvore, tabela e atividades ao ar livre


O presidente da Gestão Unificada Nivaldo Magalhães tem realizado reuniões sistemáticas com as coordenadorias regionais para discutir, avaliar os avanços e cobrar resultados.

 

Na sua avaliação, a energia solar é uma excelente alternativa para as famílias agricultoras paraibanas melhorarem a renda e a qualidade da produção.


O agricultor interessado em participar do programa deve se dirigir ao escritório da Emater de seu município munido de documentos pessoais e do imóvel rural, Declaração de Aptidão ao Pronaf (Dap), e a proposta de viabilidade técnica e econômica.

 

“Atendendo a esses critérios, as agências do Banco do Nordeste estão aptas a contratar o financiamento”, disse, adiantando que a intenção do Governo do Estado é ampliar as oportunidades de geração de postos de trabalho no meio rural.

 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

Comentários

Veja também

Facebook