Gays e adúlteros serão punidos com apedrejamento até a morte

Internacional

01/04/2019 às 09h10

Gays e adúlteros serão punidos com apedrejamento até a morte

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 348 VEZES

Uma Lei em Brunei, Estado soberano localizado na costa norte da ilha de Bornéu, no Sudeste Asiático, vai punir a homossexualidade e o adultério com apedrejamento e chicoteamento.

 

A partir de quarta-feira (3), qualquer indivíduo considerado culpado será apedrejado até a morte de acordo com o novo Código Penal.

 

A punição será “testemunhada por um grupo de muçulmanos” e o código também terá amputação como pena por roubo.

 

A nova Lei começou a ser comentada em 2014 e gradualmente foi sendo implementada, até que o procurador geral de Brunei, anunciou a última fase de implementação em 29 de dezembro de 2018.

 

Grupos de apoio aos direitos humanos expressaram sua indignação com a decisão e tentam mudar esse cenário.

 

“Brunei deve imediatamente suspender seus planos sobre implementar essas punições cruéis e rever seu Código Penal em conformidade com suas obrigações de direitos humanos. A comunidade internacional deve condenar urgentemente a decisão de Brunei de colocar essas penalidades em prática”, disse Rachel Chhoa-Howard, pesquisadora da Anistia Internacional.

 

Em 2014, Brunei se tornou o primeiro País da região a adotar a Lei Sharia, sistema islâmico que determina punições corporais severas.

 

A homossexualidade já era ilegal no País e agora passa a fazer parte do sistema Sharia por ser considerada uma “ofensa capital”.

 

O novo Código Penal foi anunciado em maio de 2014 pelo sultão de Brunei, Hassanal Bolkiah, que também atua como primeiro-ministro do país.

 

Ao anunciar a mudança, o site do governo citou o sultão dizendo que seu governo “não espera que outras pessoas aceitem e concordem com isso, mas que isso seria suficiente se eles apenas respeitassem a nação da mesma forma que o país também os respeitam”.

 

Por Higor Dorta (Yahoo)

Comentários

Veja também

Facebook