Em entrevista empresário fala da chegada da REDE MAIS a Juazeirinho

Econômia

02/01/2017 às 14h43

Em entrevista empresário fala da chegada da REDE MAIS a Juazeirinho

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 582 VEZES

JUAZEIRINHO acaba de ganhar uma moderna farmácia da REDE MAIS, com um novo conceito que foi trazido da Europa para o Brasil e que chega a Paraíba através do empresário de sucesso, Natércio Assis, economista de formação e com 25 anos de experiência no ramo farmacêutico.

 

A nova REDE MAIS, que funciona no centro da cidade, na rua Vereador Paulo Cosme de Oliveira, já está em pleno funcionamento, mas que será inaugurada oficialmente nesta terça-feira (3) a partir das 7 horas com um café da manhã servido à população que se fizer presente, aferição de pressão arterial, testes de glicemia e outros serviços.

 

A REDE MAIS Nacional é uma franquia que existe há 10 anos no Brasil e, na Paraíba, conta com mais de 200 farmácias.

 

Além disso, conta com cerca de 100 farmácias no Estado vizinho de Pernambuco e o objetivo é entrar também no Rio Grande do Norte.

 

o helenolima.com esteve na manhã desta segunda-feira (2) na REDE MAIS e entrevistou o responsável pelo empreendimento em Juazeirinho, Natércio, que explica o novo conceito de farmácia e diz que o objetivo é abrir mais 12 projetos pilotos deste tipo.

 

HELENO LIMA - O que o levou a criar uma farmácia nesses moldes que só existe na Europa?

 

NATÉRCIO ASSIS - Nosso sonho é criar uma loja do sonho dos clientes. As vezes, somos questionados porque algumas pessoas dizem: 'a loja dos seus sonhos', imediatamente, rechaço e digo: 'não, não é a loja dos meus sonhos, é a loja dos sonhos dos meus clientes' e que eu, há mais de 25 anos no segmento, almejava e que agora vamos inaugurar nesta terça-feira com uma ação social fantástica com café da manhã, aferição de pressão, testes de glicemia e outros serviços.

 

HL - Qual o benefício para o cliente que esse moderno empreendimento oferece?

 

NA - Esse padrão é inédito e aqui na Paraíba é a primeira loja a adotar esse sistema onde as sessões são separadas com produtos de acordo com a necessidade de cada cliente. Por exemplo, se a pessoa quer um medicamento para o intestino, tem lá uma gôndola só com medicamentos para este tipo de enfermidade. Para dores de cabeça, da mesma forma. Se você quiser um preservativo e não quer pedir ao funcionário, é só ir lá na sessão especificamente para preservativos e passa direto no caixa. Ou seja, é um padrão moderno e que só existia na Europa, mas que trouxemos para contemplar a população de Juazeirinho com tudo feito nos padrões adotados pelos órgãos sanitários.

 

HL - A REDE MAIS já existe há 10 anos no Brasil, tendo um crescimento considerável aqui no Nordeste, com mais de 200 lojas na Paraíba e 100 no Pernambuco. Qual o objetivo da empresa para 2017?

 

NA - Tivemos realmente um crescimento fantástico nos últimos anos e se deve ao trabalho que estamos fazendo. Nossa empresa é uma rede associativista porque identificamos em nossas pesquisas que no interior há uma dificuldade enorme do empresário tocar seu negócio sozinho porque falta conhecimento e as novidades chegam tarde de mais e eu, como um dos diretores da REDE MAIS, que represento o Cariri e o Sertão da Paraíba, me vejo na obrigação de ajudá-los. Agora, estamos entrando no Pernambuco e, brevemente, é bem possível que ainda este ano, passaremos a operar também no Rio Grande do Norte.

 

HL - Por que você decidiu abrir essa loja justamente neste período de crise?

 

NA - É verdade, a crise é grande. Porem se a gente for cruzar os braços e esperar que as coisas caiam do céu, fica muito mais difícil. Temos que correr atrás de novas alternativas. É nesses momentos de crise que nos redescobrimos e encontramos soluções. Não podemos abaixar a cabeça e sim procurarmos formas de planejar, analisar e termos um suporte para que possamos  crescer. O nosso mercado cresce a cada ano de forma natural. Mas isso tudo feito com -planejamento. A REDE MAIS não faz absolutamente nada sem planejar. Por isso, mensalmente nos reunimos e discutimos exaustivamente tudo que vai acontecer no mercado. Todas as farmácias associada a nossa rede, temos como dar suporte como arquiteto, projetista, setor jurídico.. em fim, nosso escritório oferece para cada setor, um profissional responsável para  ajudar aos nossos associados. Por isso, atualmente existe uma demanda muito grande de farmácias querer entrar na nossa rede. Mas nós estamos começando a fazer uma filtragem maior porque as vezes algumas pessoas não têm muito comprometimento com as ações que desenvolvemos. Mas para aqueles que se dedicam e cumpre com as metas, o crescimento é fato e este ano não vai ser diferente. Vamos crescer sim, com pé no chão, cuidado e tomara que os demais setores da economia também cresçam.

 

HL - A falta d'água atrapalha?

 

NA - Demais, pois a gente vive uma crise hídrica enorme e isso nos impede muito de fazermos investimentos. Mas com muita coragem e planejamento, conseguimos tirar esse projeto piloto do papel e transformá-lo em realidade

 

HL - O que mais atrapalha o empresário de investir em novos empreendimentos?

 

NA - Temos também uma crise aguda de segurança pública, que pesa moto na hora de investirmos. Além disso, Juazeirinho praticamente não tem bancos e isso afeta o nosso comércio. Mas tomara que neste 2017 essas coisas se amenizem para que nós possamos, ou seja, toda a gama do mercado, seja farmácias, panificadoras, supermercados, quiosques, sorveterias. Porque todos crescendo, a cidade cresce, a população melhora de vida e, em fim, todos saem ganhando.

 

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e área interna

Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Da redação

Comentários

Veja também

Facebook