Construção de barragens subterrâneas em pequenas comunidades rurais

Agricultura

17/11/2017 às 23h41

Construção de barragens subterrâneas em pequenas comunidades rurais

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 230 VEZES

Está sendo desenvolvida na região de Campina Grande, várias atividades no que diz respeito as práticas de convivência com a seca em comunidades rurais, a exemplo da tecnologia de contenção de água através de barragem subterrânea, uma ação que também é executada por outras unidades operativas da Emater em toda a Paraíba.


No município de Queimadas, por exemplo, nesta semana, foram construídas três barragens, uma delas na comunidade Furnas, do agricultor familiar, José Antônio Araújo, que tem pretensão de intensificar o plantio de capim de corte, plantas forrageiras e culturas de subsistências na área da barragem, para manutenção do seu rebanho bovino no período de estiagem, o qual, no momento passa por grandes dificuldades para sua alimentação e, o plantio agrícola para subsistência da família.


A técnica de construção de barragem subterrânea consiste em construir um obstáculo no depósito aluvial, com finalidade de impedir que a água nele acumulada continue a escoar durante o período a estiagem, podendo promover acumulo de água para alimentar, através da irrigação, culturas perenes (forrageiras e frutíferas), além de garantir a produção de culturas anuais mesmo com distribuição irregular das chuvas de inverno.

 


Os trabalhos de execução das barragens em Queimadas, foram executados em parceria com a prefeitura municipal, contando com a orientação do extensionista da Emater local, Evandro Araújo e do assessor Verneck Abrantes, com o acompanhamento do coordenador regional da Emater em Campina Grande, Sales Junior.


A partir da unidade regional de Campina Grande, outros municípios vêm sendo contemplados com a construção de barragens subterrâneas.

 

É uma prática que se estende por todo o território da Paraíba, junto aos agricultores familiares com orientação da Emater e também por outros órgãos.

 

 

O trabalho conta com o apoio do Governo do Estado, por meio da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, vinculada a Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca.

 

Comentários

Veja também

Facebook