Chocolate em excesso pode provocar problemas de ordem psicológica

Saude

19/04/2019 às 23h37

Chocolate em excesso pode provocar problemas de ordem psicológica

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 284 VEZES

Dizer que a época mais doce do ano acaba de bater a porta de muitos brasileiros é verdade.

 

Afinal, o Brasil é um País rico na tradição do consumo de chocolate nesse período de Páscoa.

 

O que ocorre também é que para algumas pessoas essa fase doce dura o ano inteiro e, quando isso ocorre, é preciso estar atento aos sinais que podem indicar que o indivíduo seja um chocólatra, o que, de acordo com a psicóloga, Danielle Azevedo, o sujeito que se caracteriza como tal pode ser considerado “um consumidor compulsivo do chocolate, como o próprio nome já sugere”.

 
A psicóloga explica que indivíduos que comem chocolate frequentemente não são necessariamente pessoas que precisam de tratamento.

 

O alerta vai para quem extrapola no consumo.

 

“Minha preocupação é com quem come o chocolate de forma excessiva, pois nenhum tipo de excesso na vida é saudável. Além disso, há ainda as questões relacionadas às consequências do uso do açúcar ou do cacau indevidamente. Ressaltamos o aumento de peso, distúrbios endócrinos inclusive e as consequências emocionais podem repercutir negativamente no paciente”, avisa.
 
O chocólatra propriamente dito, na maioria dos casos vai buscar substituir uma refeição pelo chocolate.

 

“Por mais irreal que isso possa parecer esses casos existem e é preciso um acompanhamento especializado porque trata-se de uma dependência de ordem psicológica que afeta a vida do indivíduo e saúde como um todo”, alerta.
 
Apesar de algumas pessoas serem chocólatras, a especialista esclarece que o vício em chocolate não pode ser visto como o vício de drogas ou álcool, por exemplo, pois não há abstinência química, é apenas psicológica.

 

“O que na verdade prejudica a pessoa que é chocólatra não é o chocolate em si, mas a dependência adquirida com a sensação de bem estar, euforia e excitação trazida pela substância que é liberada no sistema nervoso central, o precursor da serotonina,  fazendo com que quem se acostumou com a sensação sinta um incômodo ao ficar sem a sensação causada pelo consumo do chocolate”, explica.
 
A psicóloga deixa o alerta.

 

“Chocolate é bom? É! Mas o consumo deve ser sempre feito de forma consciente e saudável para que o momento em que se prova um pedaço seja um tempo de prazer e satisfação momentânea e não de dependência. A dica é comer com responsabilidade e aproveitar essa época tão doce com sabedoria e bastante saúde”, conclui.

Comentários

Veja também

Facebook