CF diz se sentir injustiçado e anuncia formação de um grupo político em Juazeirinho

Politica

03/11/2018 às 09h58

CF diz se sentir injustiçado e anuncia formação de um grupo político em Juazeirinho

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 483 VEZES

JUAZEIRINHO - Na eleição deste ano, Cícero Freire, disputou, mais uma vez, o pleito para deputado Federal pelo PSD e, em sua terra natal, onde já foi eleito vereador em três ocasiões e chegou a presidir a Câmara Municipal.

 

Muito embora a sua candidatura esteja sub judíce e os votos ainda não tenham sido válidos pelo TSE, ele obteve 1.947 escrutínios em todo o Estado, sendo 1.184 só em Juazeirinho, o que lhe coloca como segundo colocado no município, atrás apenas de Ana Cláudia Vital do Rego (PODE), apoiada pelo prefeito, Bevilacqua Matias (Avante), que recebeu 1.827 sufrágios.

 

A boa votação deixou Cícero bastante animado para alçar vôos mais altos em Juazeirinho e ele já fala em formar um grupo com o intuito de disputar a Prefeitura em 2020, tentando se desgarrar da liderança da família Matias, de quem foi aliado histórico por décadas.

 

Cícero, que já foi candidato a vice-prefeito em 1982 e 1988 na chapa encabeçada pelo saudoso Dr Genival Matias de Oliveira, agora critica abertamente e sem ressalvas, a postura de Bevilacqua e de Genival Matias Filho (Avante), deputado Estadual reeleito, em relação a sua pessoa.

 

Ele diz que, apesar de sempre ter servido ao grupo, não foi chamado sequer para vigia do cemitério e que o prefeito teria dito que ele estaria "ultrapassado", fato este que lhe magoou bastante, mas que lhe serve de combustível para enfrentá-los nas urnas.  

 

Sobre a votação recebida em Juazeirinho, Cícero diz que não teve ajuda da família Matias e, que, mesmo tendo votado em Genival para Estadual, foi "tratado como adversário".

 

"Mas deixa pra lá. Vou construir meu próprio barco e, nele, tenho certeza que não navegarei sozinho. A resposta foi clara".

 

Segundo ele, muitos em Juazeirinho que se sentem injustiçados ou mal tratados de um lado, logo anunciam que vão para o lado dos Matias ou dos Marinheiros.

 

"Comigo será diferente. Não tenho magoa de nenhum, mas tenho amor próprio e não entrarei neste jogo. Quem quiser que me siga e não vou decepcionar. Se Deus me der vida, começarei a montar um grupo de pessoas que desejem uma historia diferente para juazeirinho", promete.

 

Da redação

Comentários

Veja também

Facebook