Caminhoneiros seguem protestando Mesmo após propostas de Temer

Brasil

28/05/2018 às 10h10

Caminhoneiros seguem protestando Mesmo após propostas de Temer

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 227 VEZES

O Governo publicou em edição extra do Diário Oficial da União as três medidas provisórias prometidas pelo presidente Michel Temer em pronunciamento feito na noite deste domingo (27).

 

Logo após o anúncio, representantes dos caminhoneiros afirmaram que a retomada das atividades só aconteceria após a publicação das medidas.

 

No entanto, mesmo elogiadas pela categoria, as medidas parecem não ter sido suficientes para acabar com o movimento.

 

Na manhã desta segunda-feira, 19 estados e o Distrito Federal ainda registravam protestos.

 

AS MEDIDAS

 

Temer anunciou que o governo vai implantar um preço mínimo de frete para o transporte rodoviário e a isenção de pedágio sobre o eixo suspenso de caminhões em todo o País.

 

Além disso, prometeu também a redução no preço do diesel, em R$ 0,46 por litro, e o congelamento dessa redução por 60 dia.

 

A redução corresponde aos valores da Cide e do PIS/Cofins somados, segundo o presidente.

 

Segundo ele, os caminhoneiros poderão, com isso, planejar melhor seus custos e o valor do frete.

 

O Governo também vai garantir aos caminhoneiros autônomos pelo menos 30% dos fretes da Conab.

 

O QUE DIZEM OS CAMINHONEIROS

 

Uma das principais lideranças do movimento dos caminhoneiros, o presidente da Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros), José da Fonseca Lopes, afirma que, com o acordo firmado com o governo neste domingo (27), o “assunto está resolvido”.

 

“Eu acho que o assunto está definido. O caminhoneiro está antenado, ele também quer sair desse movimento agora, porque já faz sete ou oito dias”, disse.

 

No entanto, manifestantes não dão sinais de desmobilização e devem continuar o protesto.

 

TRECHOS DE BLOQUEIO

 

Nos arredores de São Paulo, há dois pontos de bloqueio na CCR Nova Dutra, em São Paulo e Guarulhos (SP).

 

Na rodovia Regis Bittencourt, há uma manifestação na região de Embu das Artes (SP) e em outros quatro pontos da estrada.

 

A rodovia Anhanguera tem dois pontos com manifestações, nas regiões de Perus e Limeira. No Paraná, a RodoNorte tem 15 pontos, nos trechos entre Curitiba a Apucarana e Ponta Grossa a Jaguariaiva.

 

A BR 040, do Brasília a Belo Horizonte, informa que havia oito pontos de manifestações às 7h: km 10, Luziânia (GO), km 95, Cristalina (GO), km 45, Paracatu (MG), km 145, João Pinheiro (MG),  km 511, Ribeirão das Neves (MG), km 603 e km 617, Congonhas (MG), km 627, Conselheiro Lafaiete (MG) e km 699, Barbacena (MG).

 

Em Santa Catarina, manifestações acontecem em cinco pontos (todos fora da pista, segundo a concessionária): no km 6, acesso a Garuva, km 26 (Joinville, sentido PR), km 75 (Araquari, sentido RS), km 116 (Itajaí, sentido RS), km 215 (Palhoça, sentido RS).

 

A BR-101 (RJ), entre a divisa RJ/ES e Niterói, tem pontos de manifestação no km 75 (Campos dos Goytacazes) e km 297 (Itaboraí).

 

Na BR-116, no Paraná, há manifestações em cinco pontos —dois em Curitiba e um em Fazenda Rio Grande, Mandirituba e Campo do Tenente.

 

Com informações da Folhapress

Comentários

Veja também

Facebook