Câmara aprova texto-base da Previdência em 2º turno e vota destaques nesta 4ª-feira

Brasil

07/08/2019 às 09h26

Câmara aprova texto-base da Previdência em 2º turno e vota destaques nesta 4ª-feira

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 185 VEZES

BRASÍLIA - A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quarta-feira (7) o texto-base da reforma da Previdência em segundo turno e votará destaques que podem suprimir pontos do texto ao longo do dia, visando encerrar a tramitação da matéria na Casa e enviá-la ao Senado.

 

O texto principal, que fora aprovado em primeiro turno pela Câmara no mês passado antes do recesso parlamentar, foi aprovado em segundo turno com placar de 370 a 124 votos, informa a Agência Câmara Notícias.

 

No primeiro turno, o placar fora de 379 a 131 votos.

 

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), era necessário o apoio de pelo menos 308 dos 513 deputados nas duas rodadas de votação.

 

A aprovação da PEC da Previdência em segundo turno ocorreu após o envio pelo governo de um projeto de lei do Executivo liberando crédito extra no Orçamento em favor de diversos órgãos, decisão que foi encarada como um procedimento para o pagamento de emendas parlamentares.

 

Segundo a líder do Governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), o projeto libera mais de 3 bilhões de reais para as áreas de saúde, educação, desenvolvimento regional, agricultura e defesa.

 

Os destaques que serão analisadas nesta quarta-feira (7) irão tratar de pensão por morte, abono salarial, aposentadorias conferidas a trabalhadores expostos a agentes nocivos, regras de transição, cálculo das aposentadorias e Benefício de Prestação Continuada (BPC).

 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse acreditar que os destaques apresentados à proposta serão rejeitados pelo plenário.

 

Maia menciona especificamente destaque que retira da proposta trecho que determina pagamento ao beneficiário de 60% do benefício do titular, mais 10% por dependente, no caso da morte de parceiro ou parceira.

 

Na avaliação de deputados da oposição, a medida permite o pagamento de benefício inferior a um salário mínimo.

 

“No ponto mais polêmico, o secretário Rogério Marinho já construiu maioria ao assinar a portaria que garante que nenhum brasileiro vai receber menos de um salário mínimo”, disse Maia, citando portaria do secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, que estabelece que todos os pensionistas terão renda de pelo menos um salário mínimo.

 

A votação dos destaques deve começar por volta das 11 horas e prosseguir ate as 22 hiras, segundo a expectativa de Maia.

 

Comentários

Veja também

Facebook